14.2 C
Londres
domingo, maio 9, 2021

Um outdoor incomoda muita gente, de pequi roído incomoda muito mais

Saiba Mais

Após roubo em residência, PM localiza suspeitos no centro de Palmas

Dois jovens de 21 anos foram presos pela Polícia Militar após roubarem uma residência na região central de Palmas,...

Palmas é escolhida no projeto-piloto Destino Turístico Inteligente

A cidade de Palmas está entre as dez capitais escolhidas pelo Ministério do Turismo para integrar o projeto-piloto Destinos...

Professor de Araguaína vence prêmio de linguística brasileira

O professor e pesquisador Dr. Bruno Gomes foi o grande vencedor do prêmio 'Serafim da Silva Neto', prêmio mais...
Cinthia Abreu
Cinthia Abreuhttps://www.mvnoticias.com.br
Cinthia Abreu é jornalista e produtora cultural há cerca de 20 anos. Apaixonada por arte, cultura, natureza, turismo, o Tocantins e sua gente. Sempre disposta a ouvir e contar histórias. Email: [email protected] Instagram: @ciabreu

Outdoor foi instalado na Avenida JK, em agosto do ano passado

“Cabra à toa, não vale um pequi roído/ Palmas quer impeachment já.” A frase exposta em um outdoor com a foto do presidente da república, Jair Bolsonaro, em Palmas, gerou grande repercussão e polêmica em todo País nesta semana.

A propaganda crítica ao governo nacional foi instalada na Avenida JK, em agosto do ano passado, e mostra a foto de um pequi roído no nariz do presidente. Há ainda uma segunda placa com os dizeres: “Aí mente! Vaza Bolsonaro, o Tocantins quer paz”.

Em Carta a prefeitos e vereadores Carlesse propõe a abertura do comércio e pequenos negócios

Segundo outdoor trazia a mensagem: Vaza, Bolsoonaro

A polêmica do pequi roído tange no fato de que a propaganda se tornou alvo de inquérito policial com duas pessoas que residem no Tocantins – o sociólogo Tiago Costa Rodrigues, de 36 anos, que é secretário de formação do PCdoB em Tocantins e mestrando na Universidade Federal do Tocantins (UFT), e Roberval Ferreira de Jesus, de 58 anos, dono de uma microempresa de outdoors.

Nas redes sociais, a notícia é um dos assuntos mais comentados da semana, com artigos de opinião, memes, posts e comentários, de jornalistas, artistas e outros formadores de opinião, como o jornalista Ricardo Noblat, em seu perfil Blog do Noblat:

Inquérito

O ministro da Justiça, André Mendonça, pediu que a Polícia Federal (PF) abrisse uma investigação “por suposto crime contra a honra do presidente da República” contra os autores da propaganda que assemelha Bolsonaro ao pequi roído.

A Corregedoria Regional da PF e o Ministério Público Federal no Tocantins arquivaram o caso e comunicaram a decisão ao ministro da Justiça, André Mendonça, no fim de outubro. Em dezembro, porém, Mendonça requisitou a abertura do inquérito ao diretor-geral da PF, imputando ao professor e ao dono da empresa de outdoor crime contra a honra do presidente. Os dois prestaram depoimento por videoconferência à delegada da PF Aline Carvalho Miranda em janeiro.

Crianças indígenas venezuelanas são vacinadas em Araguaína

Inquérito foi solicitado por ministro da justiça

Defesa

Tiago Rodrigues disse que a ideia dos outdoors surgiu porque militantes bolsonaristas espalharam placas em municípios do Tocantins com mensagens de apoio a Bolsonaro. A ideia era fazer um contraponto. Foi então lançada uma vaquinha virtual, que arrecadou cerca de R$ 2,3 mil. Com o dinheiro, Tiago contratou duas placas que ficaram 30 dias em exposição. “A ideia foi dizer que é um governo que não age no combate à pandemia. Isso do pequi é uma expressão regional. Algo que é ineficaz, não está valendo para nada, não está surtindo efeito. Minha opinião sobre o que o Bolsonaro está fazendo na pandemia é a de vários brasileiros. Estamos vendo as consequências disso. É um governo que não está atuando de maneira eficaz, isso que o outdoor dizia”, afirmou Tiago Rodrigues, em rede social.

 

Pequi

O ano de 2021 trouxe muitas polêmicas envolvendo o pequi. Até mesmo a nacionalidade do fruto foi alvo de debates em estados como Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás e Tocantins. No Tocantins, pequi roído é um pequi que só tem espinhos dentro, por isso, a expressão pequi roído tem o sentido de que não vale nada.

Arquitetos tocantinenses desenvolvem plataforma digital da Expo Revestir 2021

- Advertisement -

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Últimas Notícias

Após roubo em residência, PM localiza suspeitos no centro de Palmas

Dois jovens de 21 anos foram presos pela Polícia Militar após roubarem uma residência na região central de Palmas,...
- Advertisement -

Saiba Mais

Após roubo em residência, PM localiza suspeitos no centro de Palmas

Dois jovens de 21 anos foram presos pela Polícia Militar após roubarem uma residência na região central de Palmas,...

Palmas é escolhida no projeto-piloto Destino Turístico Inteligente

A cidade de Palmas está entre as dez capitais escolhidas pelo Ministério do Turismo para integrar o projeto-piloto Destinos...

Professor de Araguaína vence prêmio de linguística brasileira

O professor e pesquisador Dr. Bruno Gomes foi o grande vencedor do prêmio 'Serafim da Silva Neto', prêmio mais...
Cinthia Abreu
Cinthia Abreuhttps://www.mvnoticias.com.br
Cinthia Abreu é jornalista e produtora cultural há cerca de 20 anos. Apaixonada por arte, cultura, natureza, turismo, o Tocantins e sua gente. Sempre disposta a ouvir e contar histórias. Email: [email protected] Instagram: @ciabreu

Outdoor foi instalado na Avenida JK, em agosto do ano passado

“Cabra à toa, não vale um pequi roído/ Palmas quer impeachment já.” A frase exposta em um outdoor com a foto do presidente da república, Jair Bolsonaro, em Palmas, gerou grande repercussão e polêmica em todo País nesta semana.

A propaganda crítica ao governo nacional foi instalada na Avenida JK, em agosto do ano passado, e mostra a foto de um pequi roído no nariz do presidente. Há ainda uma segunda placa com os dizeres: “Aí mente! Vaza Bolsonaro, o Tocantins quer paz”.

Em Carta a prefeitos e vereadores Carlesse propõe a abertura do comércio e pequenos negócios

Segundo outdoor trazia a mensagem: Vaza, Bolsoonaro

A polêmica do pequi roído tange no fato de que a propaganda se tornou alvo de inquérito policial com duas pessoas que residem no Tocantins – o sociólogo Tiago Costa Rodrigues, de 36 anos, que é secretário de formação do PCdoB em Tocantins e mestrando na Universidade Federal do Tocantins (UFT), e Roberval Ferreira de Jesus, de 58 anos, dono de uma microempresa de outdoors.

Nas redes sociais, a notícia é um dos assuntos mais comentados da semana, com artigos de opinião, memes, posts e comentários, de jornalistas, artistas e outros formadores de opinião, como o jornalista Ricardo Noblat, em seu perfil Blog do Noblat:

Inquérito

O ministro da Justiça, André Mendonça, pediu que a Polícia Federal (PF) abrisse uma investigação “por suposto crime contra a honra do presidente da República” contra os autores da propaganda que assemelha Bolsonaro ao pequi roído.

A Corregedoria Regional da PF e o Ministério Público Federal no Tocantins arquivaram o caso e comunicaram a decisão ao ministro da Justiça, André Mendonça, no fim de outubro. Em dezembro, porém, Mendonça requisitou a abertura do inquérito ao diretor-geral da PF, imputando ao professor e ao dono da empresa de outdoor crime contra a honra do presidente. Os dois prestaram depoimento por videoconferência à delegada da PF Aline Carvalho Miranda em janeiro.

Crianças indígenas venezuelanas são vacinadas em Araguaína

Inquérito foi solicitado por ministro da justiça

Defesa

Tiago Rodrigues disse que a ideia dos outdoors surgiu porque militantes bolsonaristas espalharam placas em municípios do Tocantins com mensagens de apoio a Bolsonaro. A ideia era fazer um contraponto. Foi então lançada uma vaquinha virtual, que arrecadou cerca de R$ 2,3 mil. Com o dinheiro, Tiago contratou duas placas que ficaram 30 dias em exposição. “A ideia foi dizer que é um governo que não age no combate à pandemia. Isso do pequi é uma expressão regional. Algo que é ineficaz, não está valendo para nada, não está surtindo efeito. Minha opinião sobre o que o Bolsonaro está fazendo na pandemia é a de vários brasileiros. Estamos vendo as consequências disso. É um governo que não está atuando de maneira eficaz, isso que o outdoor dizia”, afirmou Tiago Rodrigues, em rede social.

 

Pequi

O ano de 2021 trouxe muitas polêmicas envolvendo o pequi. Até mesmo a nacionalidade do fruto foi alvo de debates em estados como Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás e Tocantins. No Tocantins, pequi roído é um pequi que só tem espinhos dentro, por isso, a expressão pequi roído tem o sentido de que não vale nada.

Arquitetos tocantinenses desenvolvem plataforma digital da Expo Revestir 2021

- Advertisement -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Últimas Notícias

Após roubo em residência, PM localiza suspeitos no centro de Palmas

Dois jovens de 21 anos foram presos pela Polícia Militar após roubarem uma residência na região central de Palmas,...
- Advertisement -

Saiba Mais

Após roubo em residência, PM localiza suspeitos no centro de Palmas

Dois jovens de 21 anos foram presos pela Polícia Militar após roubarem uma residência na região central de Palmas,...

Palmas é escolhida no projeto-piloto Destino Turístico Inteligente

A cidade de Palmas está entre as dez capitais escolhidas pelo Ministério do Turismo para integrar o projeto-piloto Destinos...

Professor de Araguaína vence prêmio de linguística brasileira

O professor e pesquisador Dr. Bruno Gomes foi o grande vencedor do prêmio 'Serafim da Silva Neto', prêmio mais...
Cinthia Abreu
Cinthia Abreuhttps://www.mvnoticias.com.br
Cinthia Abreu é jornalista e produtora cultural há cerca de 20 anos. Apaixonada por arte, cultura, natureza, turismo, o Tocantins e sua gente. Sempre disposta a ouvir e contar histórias. Email: [email protected] Instagram: @ciabreu

Outdoor foi instalado na Avenida JK, em agosto do ano passado

“Cabra à toa, não vale um pequi roído/ Palmas quer impeachment já.” A frase exposta em um outdoor com a foto do presidente da república, Jair Bolsonaro, em Palmas, gerou grande repercussão e polêmica em todo País nesta semana.

A propaganda crítica ao governo nacional foi instalada na Avenida JK, em agosto do ano passado, e mostra a foto de um pequi roído no nariz do presidente. Há ainda uma segunda placa com os dizeres: “Aí mente! Vaza Bolsonaro, o Tocantins quer paz”.

Em Carta a prefeitos e vereadores Carlesse propõe a abertura do comércio e pequenos negócios

Segundo outdoor trazia a mensagem: Vaza, Bolsoonaro

A polêmica do pequi roído tange no fato de que a propaganda se tornou alvo de inquérito policial com duas pessoas que residem no Tocantins – o sociólogo Tiago Costa Rodrigues, de 36 anos, que é secretário de formação do PCdoB em Tocantins e mestrando na Universidade Federal do Tocantins (UFT), e Roberval Ferreira de Jesus, de 58 anos, dono de uma microempresa de outdoors.

Nas redes sociais, a notícia é um dos assuntos mais comentados da semana, com artigos de opinião, memes, posts e comentários, de jornalistas, artistas e outros formadores de opinião, como o jornalista Ricardo Noblat, em seu perfil Blog do Noblat:

Inquérito

O ministro da Justiça, André Mendonça, pediu que a Polícia Federal (PF) abrisse uma investigação “por suposto crime contra a honra do presidente da República” contra os autores da propaganda que assemelha Bolsonaro ao pequi roído.

A Corregedoria Regional da PF e o Ministério Público Federal no Tocantins arquivaram o caso e comunicaram a decisão ao ministro da Justiça, André Mendonça, no fim de outubro. Em dezembro, porém, Mendonça requisitou a abertura do inquérito ao diretor-geral da PF, imputando ao professor e ao dono da empresa de outdoor crime contra a honra do presidente. Os dois prestaram depoimento por videoconferência à delegada da PF Aline Carvalho Miranda em janeiro.

Crianças indígenas venezuelanas são vacinadas em Araguaína

Inquérito foi solicitado por ministro da justiça

Defesa

Tiago Rodrigues disse que a ideia dos outdoors surgiu porque militantes bolsonaristas espalharam placas em municípios do Tocantins com mensagens de apoio a Bolsonaro. A ideia era fazer um contraponto. Foi então lançada uma vaquinha virtual, que arrecadou cerca de R$ 2,3 mil. Com o dinheiro, Tiago contratou duas placas que ficaram 30 dias em exposição. “A ideia foi dizer que é um governo que não age no combate à pandemia. Isso do pequi é uma expressão regional. Algo que é ineficaz, não está valendo para nada, não está surtindo efeito. Minha opinião sobre o que o Bolsonaro está fazendo na pandemia é a de vários brasileiros. Estamos vendo as consequências disso. É um governo que não está atuando de maneira eficaz, isso que o outdoor dizia”, afirmou Tiago Rodrigues, em rede social.

 

Pequi

O ano de 2021 trouxe muitas polêmicas envolvendo o pequi. Até mesmo a nacionalidade do fruto foi alvo de debates em estados como Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás e Tocantins. No Tocantins, pequi roído é um pequi que só tem espinhos dentro, por isso, a expressão pequi roído tem o sentido de que não vale nada.

Arquitetos tocantinenses desenvolvem plataforma digital da Expo Revestir 2021

- Advertisement -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Últimas Notícias

Após roubo em residência, PM localiza suspeitos no centro de Palmas

Dois jovens de 21 anos foram presos pela Polícia Militar após roubarem uma residência na região central de Palmas,...