ColunasDestaque

Madre Teresa de Calcutá foi uma santa? A vertente da “santa” que talvez você não conheça

Não se pode negar que uma pessoa que passa por todo o processo de Canonização (o processo mais rápido da história do Vaticano) e ganhado Prêmio Nobel da Paz e assim se tornado uma santa amada, venerada e tenha conquistado o coração e comoção de muitas pessoas. Mas, como toda história tem duas vertentes sendo sempre uma verdadeira, talvez a história que conhecemos tenha alguns fatos acontecidos que “se esqueceram” ou propositalmente deixaram de contar.

Em verdade, o que se tem conhecimento tira um pouco do brilho da Santa Madre Teresa de Calcutá, há indícios de envolvimento dela com violação contra os direitos humanos e crimes financeiros.

O que se sabe é que a santa religiosa manteve “amizades escusas” com o fim nobre de financiar suas caridades junto a sua Congregação das Missionárias da Caridade com financiadores e doadores tidos como ditadores sanguinários e até fraudadores do sistema financeiro dos Estados Unidos. Foram milhões recebidos e que nunca tiveram prestação de contas pela Congregação. Santa Madre Teresa defendia criminosos em tribunais, e não intervia na melhoria da saúde de seus “pacientes”, o que gerava incomodo já que a mesma recebia milhões que manteriam hospitais de primeira classe e ainda pregava que seus doentes precisavam sofrer para chegar aos reinos dos céus e serem livrados da condenação eterna, desvirtuando a essência do amor ao próximo e desapego que ela tanto pregava.

Caldeirão do Huck homenageia jovem tocantinense

As condições da Instituição/Hospital administrado pela Congregação mantinha-se de forma muito insalubre com nome de “casas da morte” dada pela classe médica que ajudavam a instituição (foram abertas 517 casas para pobres e enfermos em mais de 100 países), com sofrimento de pacientes terminais, materiais hospitalares sem esterilização, enfermeiros/cuidadores sem treinamento para tratar de pacientes terminais e com sérias limitações. E você leitor? Poderia imaginar neste momento, um cenário em que está precisando de cuidados complexos e por equipe especializada ou minimamente cuidados paliativos, mas o que recebe é uma esteira em estado podre, material e remédios médicos inapropriados e um voluntário que não tenha a mínima expertise e qualificação? É aterrorizador!  Pois era assim que funcionava o acolhimento da congregação regida pela santa!

A contradição foi também exposta quando a mesma ficou doente e não ficou em seu Instituto na Índia para ser tratada, preferiu ir para o outro país cuidar da saúde, diga-se de passagem, atitudes como essas não costumam acontecer nos dias atuais, ou estou enganada? Estaríamos vivenciando histórias e fatos pretéritos com mudança tão somente de personagens?

Fazendo uma analogia aqui ao nosso Brasil, acontece o mesmo com alguns políticos, estes gerenciam o Sistema Único de Saúde – SUS, um sistema público, e quando ficam doentes recorrem por exemplo ao Sírio-Libanês, um hospital particular. Ora, minimante, quando se produz um serviço, há de se fazer uso dele também!

Vê-se que várias vertentes envolveram a Santa Madre Teresa: religião, política, dinheiro, poder e influência e uma imagem exposta à mídia internacional de uma religiosa que era extremamente caridosa. Quantas pessoas já se deixaram corromper quando carregavam tais premissas?  Mas ela, diferentemente de outros que se corromperam, ganhou prêmios devido a seu hábito religioso. A polêmica é grande, pois envolveria a tradicional instituição religiosa católica que, apesar de ter perdido muita força ao longo dos tempos, ainda tem seus dogmas e feitos.

Toda uma história foi contada, supressão de muitos fatos para idealização da boa imagem da Madre. Isso repercutiu tanto que quando nos deparamos com pessoas caridosas e altruísticas costumamos chama-las de Madre Teresa de Calcutá.

Não me sentiria confortável com o título de herege, pois procuro conhecer os fatos em sua essência para expor uma opinião fundamentada. Sempre duvide do que escute! Ainda mais quando temos ao nosso dispor, um vasto acervo de informações à palma da mão.

A história e fatos devem ser analisados pelas pessoas, com uma visão crítica dos pontos complexos com uma bibliografia disponível na internet como documentários e livros (A posição missionária: Madre Teresa em Teoria e Prática de 1995). E você? Depois de refletir, ainda aceita ser chamada (o) de Madre Teresa de Calcutá? Pois eu tenho meus receios, e se considerarmos o que foi descrito aqui, acredito que qualquer um pode se tornar um Santo(a)!

Prefeitura de Araguaína decreta ponto facultativo para órgãos públicos em dias de carnaval

Artigos relacionados

7 Comentários

  1. Excelente texto. Infelizmente, o vaticano e autoridades políticas contribuem para que o ser humano altere seu eixo de adoração, no caso, Deus!
    A religião tem convergido para política, vide as últimas manifestações do Papa, por exemplo. Infelizmente, muitos cegos fecharão os olhos para o fatos e acreditarão, tão somente no que o Vaticano ensina como doutrina dogmática. Ótimo texto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo