ColunasDestaqueEntretenimento

MILITÂNCIA NO BBB 21 ESTÁ CERTA? MICHAEL JACKSON ERA RACISTA?

Vamos falar de BBB 21? Não. Vamos discorrer sobre o tema levantado por alguns brothers: Michael Jackson era racista?

Não sou acompanhante assídua do programa, mas em horas vagas, zapeando pelos canais de TV, acompanhei uma discussão entre os participantes do reality que me chamou atenção, motivo que me fez assistir ao programa.

O tema levantado entre alguns Brothers foi a questão do Michael Jackson (MJ) ser um racista, por ter “embranquecido” e negado sua origem. A questão a ser analisada vem da história de toda uma trajetória musical, doenças e traumas psicológicos.

Para não alongar muito o texto, vamos estabelecer como marco a se analisar a doença de Michael. O pseudo “rei do pop”, tinha vitiligo universal, uma doença que causa despigmentação da pele e a sua, particularmente, era rara, pois ocupava 75% do seu corpo. Várias foram as estratégias para esconder as manchas: maquiagem pesada, o uso de luvas, meias etc.

Com 75% do corpo tomado pela doença a decisão mais sensata seria acelerar o processo de despigmentação nos outros 25% para uniformizar a cor da pele.  A doença ainda não possui cura, razão pela qual Michael optou em fazer tratamento com dermatologista para a uniformização da pele, usando a substância benoquin. Inclusive foi em um dos aconselhamentos no tratamento dermatológico que MJ conheceu a enfermeira que seria mãe de seus dois filhos mais velhos.

Assim, sem muitas alternativas para frear o aumento das manchas teve que clarear as que ficaram. Quanto ao nariz do astro, razão de muitas críticas, bullying por ser um nariz largo negroide, seu pai sempre criticava o nariz do filho. Dentre outras perversidades, ele obrigava Michael a ensaiar exaustivamente por horas a fio, o que causou traumas psicológicos graves ao cantor, resultando no distanciamento dos dois até a morte do cantor.

A primeira cirurgia no nariz foi ocasionada devido a uma fratura num ensaio dos “Jackson Five”, a segunda foi realizada com intuito estético. Quanto aos cabelos lisos e não mais o Black Power das décadas de 70 e 80, o cantor se fez do uso de perucas devido a um acidente do comercial da Pepsi, calvície frontal e cabelos ralos ocasionados devido ao vitiligo, porém seu cabelo era crespo e sem químicas conforme o laudo cadavérico.

Mesmo uniformizando o tom da pele MJ nunca negou sua negritude, sempre afirmando em várias entrevistas que era um “negro americano”.

Diante da polêmica levantada no BBB 21, o que se vê é que a mesma é injusta com o cantor, desprezando todo a luta e legado no cenário musical. Mostrou pelo seu trabalho, músicas embora em alguns casos traduzidas em mensagens lúdicas a consciência racial, social e a violência urbana. A música de MJ sempre foi influenciada e focada para o público negro. Nos discos Off the Wall,  Thriller e Dangerous, dentre outros, os estilos dos álbuns eram sempre negros.

Mesmo com todo o sucesso no começo da sua carreira, MJ não era indicado a premiações e participação de matérias em revistas musicais. Exemplo disso, a revista Rolling Stones se negou a fazer matérias denunciando o racismo no mundo musical. No entanto, quando MJ conseguiu sucesso e visibilidade ele só dava entrevistas a programas de público negro e participava basicamente de premiações que indicavam e reconheciam músicos negros.

MJ foi o primeiro artista negro a se tornar um fenômeno mundial ficando no top 5 da Billboard (ranking internacional da música), fator preponderante para facilitar a entrada posterior de ícones negros no cenário mundial da música.  Além dos estilos musicais negros, a dança de MJ era inspirada em negros, mas precisamente alguns passos são idênticos ao de James Brown.

Em 1985 MJ comprou o catálogo dos Beatles e, a partir daí como forma de ajuda, comprou vários catálogos de músicos negros que vendiam por necessidade, depois devolvia aos mesmos os direitos de suas canções. Little Richard foi um dos artistas que vendeu e seus direitos musicais e recebeu de volta. Além disso, ajudou financeiramente artistas negros e pagou até mesmo seus funerais devido à carência das famílias.

MJ inovou o mundo da música com seus clipes, criando assim uma nova era de apresentação das músicas e musicalidade até os dias de hoje. MJ em seu clipe do álbum Dangerous contratou uma equipe inteira de pessoas negras da produção e elenco como o astro de basquete Magic Johnson que tinha revelado ao público ser soropositivo do vírus HIV, o ator Wesley Snipes e a modelo Naomi Campbell.

Além de toda inserção e reparação aos negros que fazia, atuou efetivamente em projetos políticos para comunidades carentes americanas. Doou mais de 50 milhões a instituições voltadas para causa negra e disponibilizou bolsas de estudo para jovens estudantes negros.

Michael Jackson, apesar de toda a polêmica que envolve seu nome, trabalhou efetivamente na causa dos negros. Sempre, em suas entrevistas, demonstrou orgulho de ser negro americano.

Até hoje não foi substituído no cenário musical sendo ainda o “REI DO POP”, e não!

NÃO ERA RACISTA.

Quem será o novo líder? Arthur e Projota são os últimos a deixar a prova

Artigos relacionados

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo